Saltar os Menus

Notícias

16 de Dezembro de 2019

Mealhada. Notáveis da Minha Terra!

O Arquivo Distrital de Aveiro – ADAVR dedica o mês de dezembro às personalidades, figuras públicas, notáveis do concelho de Mealhada.

Em parceria com o Arquivo Histórico Municipal da Mealhada, serviço da Câmara Municipal da Mealhada selecionamos 29 personalidade do concelho da Mealhada de entre as milhares que celebra ao longo da sua história e que são de igual modo merecedoras de homenagem. Desde o histórico Frei Manuel da Mealhada, ao Reitor da Universidade de Coimbra António Augusto da Costa Simões, ao fundador da “Caves Messias” – Messias Ferreira Baptista,  assinalamos personalidades que em épocas diferentes marcaram a história da Mealhada.

Com 112 km² de área e perto de 22 mil habitantes, o concelho é limitado a norte pelo município da Anadia, a leste por Mortágua, a sueste por Penacova e Coimbra, a sul por Coimbra e a oeste por Cantanhede. Situado bem no centro do país, goza de uma localização privilegiada, e dista, por autoestrada, a uma hora do Porto, a duas de Lisboa, a menos de uma hora de Aveiro e da Figueira da Foz e a 20 minutos de Coimbra.

O Município da Mealhada é subdividido em seis freguesias: Barcouço, Casal Comba, Luso, Pampilhosa, Vacariça e União de Freguesias da Mealhada, Antes e Ventosa do Bairro. Em cada uma das localidades é possível visitar os seus locais de culto religioso, as suas pequenas fontes e conhecer as suas gentes.

O património existente é tão vasto no que se refere à sua história, tradição, cultura e gastronomia, como em termos de recursos naturais. Dos seus monumentos sobressaem o Palace Hotel do Bussaco, o Mosteiro da Vacariça, a Casa Rural Quinhentista, o Museu Militar, o Convento de Santa Cruz, mas também um sem número de chalés do início do século passado que enriquecem algumas povoações mais emblemáticas, como é o caso do Luso.

A sua paisagem é definida por extensos vinhedos, que lhe conferem um merecido lugar de destaque na Região Demarcada do Vinho da Bairrada, e ainda pelo majestoso arboreto da Serra do Bussaco. A marcar este cenário, a romântica Mata do Bussaco proporciona a todos momentos inesquecíveis em cada um dos seus mais encantadores recantos e é uma porta aberta aos inúmeros desafios do turismo de natureza

In http://www.cm-mealhada.pt/menu/553/mealhada

 


Nº de ordem

Nome

Nascimento e Morte

Data do documento

Código de referência do documento

1

Abel da Silva Lindo

Médico, Benemérito, Presidente da Câmara Municipal da Mealhada 1959-1964.
Foi médico da sua terra e aldeias vizinhas, da Associação de Socorros Mútuos “7 de Agosto”, do Centro de Assistência Paroquial de Pampilhosa, de Companhia dos Caminhos-de-ferro da Beira Alta, do Posto Sanitário da C.P., do Sindicato dos Ferroviários, dos Serviços Médico-Sociais, de todas as industrias de Pampilhosa e de algumas dos arredores, de várias Companhias de Seguros, de todas as coletividades da terra, e ainda sempre que necessário ou solicitado, do Hospital da Misericórdia de Mealhada, de cujo Corpo Clínico sempre fez parte. O Doutor Abel foi sempre muito amigo e dedicado aos seus doentes, principalmente aos mais pobres. A população para lhe agradecer deu o seu nome a uma das ruas da vila, em 1948.

N. 23-04-1904 [Pampilhosa, Mealhada]
F. 15-07-1987 [Santo António dos Olivais, Coimbra]
15 de maio de 1904 PT/ADAVR/PMLD06/1/77, fls. 16v a 17
2

Adelino de Melo [Adelino José de Melo]

Jornalista, investigador histórico, publicista, desenhador e gravador, fundador e director dos primeiros e mais antigos periódicos da região.Fundador e diretor dos primeiros e mais antigos periódicos da região. Criou e dirigiu os periódicos “Revista de Luso” (1901), “O Bussaco”(1902), “A Bairrada” (1905), “Bairrada Ilustrada” (1909), “Bussaco” (1912), “Bairrada Elegante” (1916). Publicou várias obras sobre o concelho. Em colaboração com outros, publicou em Coimbra a revista “Os novos” (1903). Foi administrador do jornal “Cidade de Coimbra” e “Ilustração Luso-Africana”(1907).

N. 29-01-1879 [Vacariça, Mealhada]
F. 1949 [Mealhada]
18 de junho de 1908 PT/ADAVR/PMLD07/2/60, fl. 3
3

Alberto d’Abreu Ferreira da Cunha


Engenheiro, responsável pela construção do chafariz de Casal Comba e pelo abastecimento de água potável à freguesia de Casal Comba

N. 03-03-1858 [Casal Comba, Malhada]
F. 22-05-1951 [Mealhada]
11 de março de 1940 PT/ADAVR/NOT/CNMLD3/002/0044/00038, fls 46 a 47
4

Alexandre Assis de Leão


Administrador do Concelho, Presidente da Câmara Municipal de Mealhada, Provedor da Santa Casa da Misericórdia da Mealhada, um dos fundadores da Sociedade de Banhos Luso. Foi distinguido com a Comenda da Ordem de Nossa Senhora da Conceição.
Formado em direito pela Universidade de Coimbra, administrador do Concelho, vereador e Presidente da Câmara Municipal de Mealhada, Provedor da Santa Casa da Misericórdia da Mealhada, um dos fundadores da Sociedade de Banhos Luso. Foi distinguido com a Comenda da Ordem de Nossa Senhora da Conceição.

N. 06-08-1819[Luso, Mealhada]osuL19 [0
F. 13-02-1910 [Luso, Mealhada
13 de Fevereiro de 1910 PT/ADAVR/PMLD04/3/84, fl 2
5

Américo Pais do Couto


Médico, Subdelegado de Saúde do Concelho, Presidente da Comissão Municipal de Assistência, Diretor Clínico do Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Mealhada, Provedor da Santa Casa da Misericórdia da Mealhada, Fundador e Presidente da Associação dos Bombeiros Voluntários da Mealhada, Presidente da União Nacional Concelhia.

N. 1894 [Santiago de Cassurrães, Mangualde]
F. 07-02-1964 [Mealhada, Mealhada]
3 de novembro de 1975 PT/ADAVR/TJCAND/82/I.288.4
6

Antonino Vidal [Antonino José Rodrigues Vidal]


Decano da Faculdade de Filosofia da Universidade de Coimbra (1864); Director da Faculdade de Filosofia (1864-1872); Director do Gabinete de Zoologia (1867-1868); Director do Jardim Botânico (1868-1870). Deputado às Cortes, Autor doTratado elementar de Botânica Filosófica (2 vols.).
Tornou parte nas lutas liberais no Batalhão Académico em 1828, sendo riscado da Universidade de Coimbra pelo Governo legitimista. Redactor do jornal Grito Nacional em 1847, e de O Liberal do Mondego em 1851-1852. Várias vezes Presidente da Câmara Municipal da Mealhada. Duas vezes Deputado às Cortes pela Figueira da Foz. Conselheiro Condecorado com a Ordem de Cristo e a Ordem da Rosa do Brasil. da Foz. Foi presidente da Câmara Municipal de Mealhada. Redactor de “O Liberal do Mondego” de 1851-1852. Condecorado com a Ordem de Cristo e a Ordem da Rosa do Brasil.

N. 1841 [Moita, Anadia]
F. 18-11-1879 [Vacariça, Mealhada]
18 de novembro de 1879 PT/ADAVR/PMLD07/3/21, fl. 14
7

António Antunes Breda


Padre, advogado, professor, director de um Colégio, Presidente da Câmara Municipal da Mealhada (1928-1936) e Presidente da União Nacional Concelhia
Fundador em 1908 do Colégio Dr. Costa Simões, mais tarde Externato D. Afonso Henriques, diretor e professor. Presidente da Comissão Executiva. Sócio fundador e professor do Colégio de Sant’Ana.

N. 03-05-1880 [Vacariça, Melhada]
F. 16-02-1965 [Mealhada, Mealhada]
4 de fevereiro de 1952 PT/ADAVR/TJCAND/56/11066
8

António Dias dos Santos


Médico, Sócio-fundador e Presidente da Direção do Grupo Desportivo da Mealhada, professor no Colégio da Mealhada. Presidente da Câmara Municipal da Mealhada (1968-1974)
Fez parte de uma Comissão Administrativa dos Bombeiros Voluntários da Mealhada. Enquanto Presidente da Câmara realizou diversas obras que o tornaram um dos mais dinâmicos presidentes de câmara do concelho. Foi Provedor da Santa Casa da Misericórdia.

N. 10-04-1907 [Vacariça, Mealhada]
F. 27-12-1989 [Mealhada, Mealhada]
26 de novembro de 1962 PT/ADAVR/TJCAND/53/7965
9

Augusto Cerveira de Melo


Benemérito, Provedor da Misericórdia de Mealhada e Presidente da Câmara Municipal da Mealhada.
Deixou em testamento acções da Sociedade da Água de Luso à Câmara Municipal da Mealhada, na condição de conservar o edifício da Escola Primária de Sernadelo, terrenos e sobreiros à Câmara Municipal para que o seu rendimento fosse aplicado na compra de livros para os alunos pobres e dinheiro para a Misericórdia de Mealhada.

N. 10-02-1871 [Vacariça, Mealhada]
F. 1935
1 de fevereiro de 1871 PT/ADAVR/PMLD07/1/8, fl. 58v.
10

António Augusto da Costa Simões


Médico, político, Professor Catedrático na Faculdade de Medicina, Reitor da Universidade de Coimbra, Presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Vice-presidente da Câmara de Deputados.
Após a sua vida académica, retirou-se para a vila de Mealhada, onde a sua iniciativa viabilizou a construção dos Paços do Concelho e do hospital. Promoveu ainda a exploração das águas do Luso e a criação das respetivas Termas. Entre muita obras de carácter científico ou documental, destacam-se as obras “Notícias dos banhos do Luso” e “História do Mosteiro da Vacariça e da Cerca do Buçaco”. Colaborou em diversos jornais e revistas.

N. 23-08-1819 [Vacariça]
F. 26-11-1903 [Casal do Murtal, Mealhada]
5 de setembro de 1819 PT/ADAVR/PMLD07/1/4, fl. 304
11

Bernardo Maria Toscano Figueiredo e Albuquerque – Visconde do Valdoeiro


Visconde de Valdoeiro, Chefe do Partido Progressista local, Administrador do Concelho e Presidente da Câmara Municipal da Mealhada (1887).
Procedeu à abertura de várias estradas regionais e à dotação de água para a vila. O título de Visconde foi-lhe concedido por decreto de 22 de março de 1881.

N. 1834 [Vacariça, Mealhada]
F. 09-03-1892 [Vacarila, Mealhada]
9 de março de 1892 PT/ADAVR/PMLD07/3/21, fl. 96
12

Constantino Botelho de Lacerda Lobo


Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra. Abastado proprietário, desempenhou os cargos de Administrador do Concelho, Presidente da Câmara Municipal de Mealhada (1893) e Chefe do Partido Regenerador.
Neto do Dr. Constantino António Botelho de Lacerda Lobo, formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra. Abastado proprietário, desempenhou os cargos de Administrador do Concelho, Presidente da Câmara Municipal de Mealhada (1893) e Chefe do Partido Regenerador.

N. 03-06-1837 [Vacariça, Mealhada]
F. 07-06-1908 [Nevolgilde, Porto]
7 de junho de 1908 Arquivo Distrital do Porto
PT/ADPRT/PRQ/PPRT09/003/0010_m007
13

Domingos Lopes Pires


Artista, Pintor autodidata, fez parte do grupo fundador MAC – Movimento Artístico de Coimbra, empresário
Apesar da sua formação autodidáctica, deixou uma vasta obra, que iniciou no princípio dos anos 70. Fez parte do grupo fundador MAC – Movimento Artístico de Coimbra. Consagrou uma exposição individual ao concelho da Mealhada com o título “Paisagens Bairradinas”.

N. 27-11-1921 [Pampilhosa, Mealhada]
F. 09-12-1993
11 de junho de 1991 PT/ADAVR/TJCAND/56/4.C.653.11
14

Joaquim Lopes Carreira de Melo


Pedagogo, fundou, em Lisboa, o Colégio de Nossa Senhora da Conceição, escreveu vários livros sobre literatura e história, fundou em 1867 a Companhia Comercial e Vinícola da Bairrada. Escreveu vários livros sobre literatura e história. Redigiu a partir de 1 de julho de 1855, o jornal “Instrução Pública”.

N. 16-07-1816 [Vacariça, Mealhada]
F. 07-10-1885 [Vacariça, Mealhada]
27 de julho de 1816 PT/ADAVR/PMLD07/1/4, fl. 258
15

Egídio de Azevedo – Cónego


Formado em Teologia, foi secretário do Arcebispo Primaz de Braga até 1872, Desembargador da Relação de Braga, professor de Teologia do Seminário de Lamego, cónego honorário da Sé de Lamego, professor e cónego do Seminário da Sé de Coimbra.
Escreveu várias obras na área da Teologia

N. 15-10-1853 [Luso, Mealhada]
F. 1899
6 de dezembro de1874 PT/ADAVR/PMLD04/1/7
16

Emídio Júlio Navarro


Ilustre impulsionador da vila de Luso, apoiou e promoveu o seu desenvolvimento através de diversas medidas, entre as quais a construção de duas escolas, posto de correios, abertura de ruas e avenidas na vila.

N. 19-04-1844 [Viseu]
F. 16-08-1905 [Luso, Maelhada]
16 de agosto de 1905 PT/ADAVR/PMLD04/3/79, fls. 4v e 5
17

Francisco Lebre de Sousa e Vasconcelos


Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, ocupou os cargos de Notário na Mealhada, Provedor da Santa Casa da Misericórdia, Presidente do Sindicato Agrícola, Chefe do Partido Progressista, Presidente da Câmara Municipal (1902 e 1904) e Presidente da Assembleia Geral da Sociedade da Água de Luso. Foi também responsável pela direção política do Estado Novo no concelho.
Mostrou-se sempre disponível para ajudar a erguer as obras de que a Mealhada necessitava. Ofereceu os terrenos para a construção do Teatro Mealhadense (1905) e do Hospital de Santa Maria (1906).

N. 05-05-1874 [Vacariça, Mealhada]
F.
2 de junho de 1874 PT/ADAVR/PMLD07/1/8, fl. 105v.
18

Frei Manuel da Mealhada


Monge Franciscano da Província da Soledade, Autor do Prontuário Histórico”Autor do Prontuário histórico, em que se oferecem aos curiosos as principais notícias da História Sagrada, Eclesiástica, Política e Civil. Tomou o hábito no Convento Franciscano de Santo António dos Olivais em 1731. Os seus sermões encontram-se reunidos em Oraçoens Panegiricas (Coimbra, 1754).”

N. 18-10-1712 [Vacariça, Mealhada]
F.
18 de outubro de 1712 PT/ADAVR/PMLD07/1/2, fl. 82v.
19

Guilherme Ferreira da Silva


Professor, músico. Era um republicano convicto, certamente destas deslocações resultou o seu vínculo a diversos jornais em que colaborava, Diário da Beira, Republica, Século e Diário de Coimbra. De um profissionalismo invulgar aproveitava a sua acção enquanto professor para alargar consideravelmente os horizontes culturais das crianças da Pampilhosa. Deve-se à sua acção de dinamizador cultural a educação no gosto pelas artes de toda uma geração de Pampilhosenses. Integrou como flautista a Filarmónica Pampilhosense, associação de cuja direcção viria a presidir mais tarde.

N. 05-06-1890 [Pampilhosa, Mealhada]
F. 09-03-1966 [Pampilhosa, Mealhada]
20 de julho de 1890 PT/ADAVR/PMLD06/1/54, fl. 79v a 80
20

João da Nóbrega Araújo


Juíz-auditor da Marinha e Administrador do Concelho da Mealhada (1901). Fundador da Santa Casa da Misericórdia de Mealhada.Juíz-auditor da Marinha e Administrador do Concelho da Mealhada (1901).

N. 1876 [Rio Grande do Sul, Brasil]
F. 04-03-1947
2 de outubro de 1946 PT/ADAVR/NOT/CNMLD3/002/0050/00004, fls 6 a 7
21

Joaquim da Cruz


Industrial, Presidente da Câmara de Mealhada, contribuiu para o desenvolvimento e progresso da Pampilhosa com diversas obras.Contribuiu para o desenvolvimento e progresso da Pampilhosa; instalou a 1ª fábrica de serração de madeiras na Pampilhosa. Preponderancia na construção do Teatro da Pampilhosa. Oferta de terreno para a construção da escola primária do Entroncamento; fez parte da comissão para construção “Fonte do Garoto”, em Pampilhosa. Fez parte de uma petição à Camara de Deputados no sentido do concelho de Mealhada voltar para o Distrito de Coimbra. Fundou a Tuna Recreativa da Pampilhosa. Fundou o Jornal Factos. Trouxe para a Pampilhosa o segundo automovel, que posteriormente seria o primeiro pronto-socorro dos Bombeiros Voluntários. Encabeçou a Comissão Organizadora da Corporação de Bombeiro, tendo colocado graciosamente um armazem que serviu de Quartel durante quinze anos.

N. 17-09-1884 [Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha]
F. 03-08-1975 [Pampilhosa, Mealhada]
16 de julho de 1975 PT/ADAVR/NOT/CNMLD3/002/0063/00064, fls 81 a 83
22

Joaquim Maria Simões Pleno


Músico, Presidente da Filarmónica Pampilhosense desde 1926. Escreveu centenas de composições para filarmónicas e orquestras, tendo-se inscrito na Sociedade Portuguesa de Autores. A sua obra estará espalhada por todo o país, talvez nem só, assinada por si e também pelo seu pseudónimo, Talarosa.

N. 15-10-1908 [Figueira da Foz]
F. 29-06-2001 [Pampilhosa, Mealhada]
16 e junho de 1953 PT/ADAVR/AC/GCAVR/H-B/001
23

José Branquinho de Carvalho


Jornalista, historiógrafo e bibliotecário. Foi funcionário da Biblioteca Municipal de Coimbra desde 1922 e ascendeu em 1948 à categoria de 1º bibliotecário.
Publicou alguns livros versando a história de Coimbra e interessou-se pelo estudo do passado histórico do seu concelho natal, em « A antiguidade da Mealhada nas enciclopédias e nos documentos, e, designadamente, na palestra «Quinze minutos de história da Mealhada»”.

N. 20-11-1899 [Vacariça, Mealhada]
F. 19-07-1965
25 de dezembro de 1899 PT/ADAVR/AC/PMLD07/1/30, fl. 19
24

Francisco Augusto Silva Rocha


Professor de desenho, Diretor da Escola Desenho Industrial, arquiteto expoente nacional da arquitetura Arte Nova e autor do centro histórico da cidade de Aveiro, pelo seu génio considerada capital da Arte Nova em Portugal.
Trabalhou como Desenhador das Obras Públicas da cidade de Aveiro e como professor da escola da Fábrica de Porcelana da Vista Alegra. Foi um dos fundadores da Escola de Desenho Industrial de Aveiro, tendo sido seu diretor e professor.

N. 24-09-1864 [Vacariça, Mealhada]
F. 22-08-1957 [Aveiro]
19 de dezembro de 1896 PT/ADAVR/PAVR06/2/104_m0033
25

José Troncho de Melo


Médico, Autor do livro Buçaco e seus Horizontes, Presidente de Câmara de Mealhada. Escreveu o livro Buçaco e seus Horizontes

N. 15-03-1893 [Luso, Mealhada]
F. 25-12-1970 [Luso, Mealhada]
3 de novembro de 1960 PT/ADAVR/TJCAND/56/7490
26

Luís da Cruz Navega


Médico, poeta e jornalista. Subdelegado de Saúde do Concelho, Provedor do Hospital da Mealhada, Diretor Clínico do mesmo hospital, Presidente do Partido Progressista do concelho.
“Contribuiu para a formação, em 1900, da Sociedade das Águas da Curia, que abriu umas modestas termas em 1 de Junho de 1902, das quais foi o primeiro director clínico. Publicou o estudo Águas Medicinais -Curia, e Pérolas Íntimas, livro de poesia. Ergueu, ainda, o Palace Hotel da Curia.” Exerceu influência na abertura e melhoramento da Rua António José de Almeida e na construção do chafariz público junto ao Jardim Municipal. Pertenceu ao Sindicato Agrícola da Bairrada.

N. 21-01-1872 [Ventosa do Bairro, Mealhada]
F. 11-04-1944 [Tamengos, Anadia]
9 de fevereiro de 1872 PT/ADAVR/PMLD08/1/12, fl. 30v.
27

Manuel de Melo Pimenta


Filantropo e benemérito da Vila do Luso “oferece às famílias carenciadas um Bairro Social com trinta casas”, o até hoje designado de Bairro Melo Pimenta. Patrocina ainda a construção de um edifício onde instala a “sopa dos pobres”.
Partiu para o Brasil com catorze anos, e lá fez fortuna. «Em idas e voltas entre Portugal e o Brasil, numa delas aflige-se com a pobreza que vê no Luso e “oferece às famílias carenciadas um Bairro Social com trinta casas”, o até hoje designado de Bairro Melo Pimenta. Patrocina ainda a construção de um edifício onde instala a sopa dos pobres, que “alimentava em média trinta a quarenta pessoas por dia”.» Mais recentemente, a família doou o seu “espólio – objetos pessoais e cerca de três mil livros – à vila do Luso”.

N. 03-02-1893 [Luso, Mealhada]
F.
12 de fevereiro de 1893 PT/ADAVR/PMLD04/1/19, fl. 4v
28

Maria da Conceição de Melo Ferreira da Nóbrega Araújo – Maria da Nóbrega


Escritora, autora de diversas obras literárias, colaboradora em diversos jornais e revistasUsou o pseudónimo de «Miriam». É autora de uma peça de teatro, “Diplomacia Americana”, que foi à cena em Lisboa. Publicou ao que parece um único livro, Fumo dos Casais, contos. Colaborou em alguns jornais («O Dia» e «O Buçaco») e revistas («Eva»).

N. 08-12-1875 [Vacariça, Mealhada]
F. 1978
25 de dezembro de 1875 PT/ADAVR/PMLD07/1/8, fl. 131 a 131v.
29

Messias Ferreira Baptista


Filantropo, Empresário da área vinícola, Construiu um edifício para a sede do Grupo Desportivo da Mealhada. Foi sócio-fundador do Colégio de Sant’Ana. Recebeu o grau de Comendador da Ordem de Benemerência
Proprietário das Caves Messias. Construiu o Cine-Teatro Messias, inaugurado em 18/01/1950. Ofereceu terrenos na estrada de S. Romão, para a construção de casas para os mais necessitados.

N. 22-11-1891 [Vacariça, Mealhada]
F. 09-10-1974 [Mealhada, Mealhada]
10 de dezembro de 1891 PT/ADAVR/PMLD07/1/13, fls. 23 e 23v.

 

Esta notícia foi publicada em 16 de Dezembro de 2019 e foi arquivada em: ADAVR, Documento em destaque, Geral.
Arquivo Distrital de Aveiro