Saltar os Menus

Notícias

8 de Março de 2016

Dia Internacional da Mulher

O APT-ADAVR-PVFR29-1-23_Domitilia Hormizindarquivo Distrital de Aveiro homenageia todas as mulheres, com a publicação do registo de batismo de uma mulher que marcou o seu tempo e a sua época: Domitila Hormizinda Miranda de Carvalho (Travanca da Feira, 10 de Abril de 1871 — Lisboa, 11 de Novembro de 1966).
Domitila foi médica, professora, escritora e política, sendo a primeira mulher a frequentar a Universidade de Coimbra, depois da reforma universitária de 1772, onde se matriculou em Outubro de 1891. Como condição para a admissão, foi obrigada, por indicação do reitor, a trajar sempre de negro, com chapéu discreto e de um modo sóbrio de forma a que não se evidenciasse entre os colegas masculinos, obrigatoriamente vestidos de capa e batina botoada. Iniciou a frequência dos cursos de Matemática e Filosofia, os quais concluiu com distinção em 1894 e 1895, respetivamente. Matriculou-se de seguida no curso de MedicinDomitiliaa e até 1896 foi a única aluna da Universidade. Quando se doutorou em Medicina, em 1904, com 16 valores, teve por madrinha a rainha D. Amélia de Orleães
Paralelamente às suas actividades como docente e médica, dedicou-se à escrita, tendo publicado alguns livros de versos, um dos quais foi impresso em Coimbra em 1909 e com prefácio de Afonso Lopes Vieira. Também se dedicou à realização de conferências sobre assuntos literários e de educação. A sua notoriedade levou a que fosse eleita sócia correspondente da Academia das Ciências de Lisboa e feita vogal do Conselho Superior de Instrução Pública. Era também membro destacado da organização dos Médicos Católicos Portugueses e de várias organizações ligadas à Igreja Católica e aos movimentos de beneficência. Em 1936 foi nomeada vogal da direcção da Obra das Mães pela Educação Nacional (OMEN).
Em 1934 foi uma das três mulheres convidadas pela União Nacional para integrarem a lista única de candidatos a deputados na I Legislatura da recém-criada Assembleia Nacional do Estado Novo. A eleição realizou-se em Dezembro de 1934, e durante duas legislaturas (1934-1938 e 1938-1941), foi com Maria Guardiola e Maria Cândida Parreira uma das três primeiras deputadas portuguesas. Tinha 64 anos quando tomou posse do cargo de deputada à Assembleia Nacional.
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Domitila_Hormizinda_Miranda_de_Carvalho 

Esta notícia foi publicada em 8 de Março de 2016 e foi arquivada em: Documento em destaque, Geral.

Arquivo Distrital de Aveiro